Coluna – Punições e pandemia marcam o 2º Split do CBLoL

As semifinais do Campeonato Brasileiro de League of Legend começam já no próximo sábado (22). No páreo, estão os três maiores campeões do torneio: a tricampeã paiN Gaming vai encarar a Prodigy, que busca o título inédito. No domingo (23), a INTZ e a KaBuM, as duas maiores vencedoras do CBLoL com quatro títulos cada, se enfrentam em partida com cara de final antecipada. 

O torneio chega à fase final em um ano em que as duas etapas do split passaram por grandes desafios. Antes mesmo da epidemia do novo coronavírus (covid-19) chegar ao Brasil, o primeiro split do CBLoL precisou ser interrompido durante algumas semanas por conta do alagamento que atingiu os Estúdios Quanta, após temporal na cidade de São Paulo, onde normalmente são realizadas as competições. O torneio voltaria algumas semanas depois em nova casa, o On e-Stadium, também na capital paulista, mas novamente foi interrompido deve para evitar a disseminação da covid-19 entre os participantes.

A pandemia, como já sabemos hoje, impactou todas atividades e com o cenário competitivo de League of Legends não poderia ser diferente. Assim como no Brasil, vários torneios nacionais de League of Legends passaram a ser disputados de forma remota, online, com os times concentrados em suas bases locais. Competições internacionais como o tradicional MSI de League of Legends foram cancelados. Até mesmo a participação de estrangeiros, em especial sul-coreanos, no CBLoL foi reduzida: depois do recorde de 12 players no primeiro split, o número caiu para sete. Um número ainda alto em comparação a outros anos, mas que pode diminuir ainda mais em meio às restrições para a entrada de estrangeiros no Brasil por conta do novo coronavírus.

Em compensação, a audiência cresceu, especialmente, nas primeiras semanas do segundo split do CBLoL, quando alguns estados do país orientavam o isolamento social. O atual recorde é de 336.349 telespectadores simultâneos na partida entre Pain Gaming e Santos, válida pela segunda rodada, de acordo com dados do site Esports Charts.

Uma novidade no atual split foi a presença do Santos, que chegou a liderar a tabela de pontos nas primeiras semanas e foi até assunto da coluna. Atual campeão do Circuito Desafiante, havia uma expectativa da torcida para que o peixe chegasse aos playoffs e lutasse pelo título inédito. O desempenho inconstante nas últimas rodadas, com mais derrotas que vitórias, sacramentou a desclassificação do clube na última rodada.

Para completar, o Santos ainda selou a eliminação do Flamengo. O “clássico do futebol” no CBLoL foi uma partida para ambas as torcidas esquecerem. Quando começou a partida, o time paulista já não tinha chances de avançar na disputa por conta da vitória da Prodigy sobre a paiN Gaming horas antes. Mesmo assim, o time não deu moleza para os rubro-negros, que precisavam vencer para se classificarem, o que acabou não acontecendo. Desde que o Flamengo chegou ao CBLoL, no segundo split de 2018, esta foi a primeira vez que o clube não alcançou as semifinais.

Um dos motivos pela dupla eliminação talvez esteja no alto número de punições. Nunca um split do CBLoL contou com tantas penalidades. Até agora já foram dez: cinco para o Flamengo, quatro para o Santos e uma para a KaBuM. Entre as motivações por trás delas, está o abandono da partida por parte de alguns jogadores antes do término e até conduta discriminatória nas redes sociais.

As sanções variaram entre multas e perda de banimentos de “campeões” – quando o seu time impede que um determinado personagem seja utilizado em uma partida, estratégia que pode impactar o desempenho do time adversário.

Quem vencer as semifinais no fim de semana vai disputar o título no dia 5 de setembro. O grande campeão conseguirá a vaga para o Mundial, que será na China. O torneio presencial segue confirmado no país berço da pandemia, mas que conseguiu controlar a doença rapidamente e, nos últimos dias, vem registrando cerca de 30 novos casos diários. A competição ficará restrita a Xangai, deixando de lado outras duas cidades nas fases iniciais, como normalmente acontece nesta competição. A presença de torcida ainda é uma incógnita. Por conta dessas restrições, a Riot Games já confirmou que pretende retornar à China com o Mundial de 2021, com o objetivo de fornecer a experiência completa do torneio aos fãs chineses. 

Por aqui, o CBLoL entrará nos preparativos finais para voltar ainda mais diferente no ano que vem. Isso por conta do sistema de franquias, já confirmado para 2021. O torneio vai funcionar de forma semelhante à NBA, em que nenhum time é eliminado. Por enquanto, ainda não há uma confirmação de quais clubes estarão disputando o torneio. Mas o clube que topar participar deve desembolsar até R$ 4,4 milhões, de acordo com o site Globo Esporte. Com o mundo ainda em dúvida sobre o ritmo de contágio da covid-19, viabilidade de vacinas, flexibilização e isolamento social, fica a expectativa sobre como a Riot Games vai conseguir lidar com esse cenário neste novo CBLoL